OS DINAMITES

Rockabilly, estilo ultrapassado do rock? Nada, a banda “Os Dinamites” prova que tem muito que se esperar desse estilo divertido, dançante e descontraído. Desde 2007 o pavio desta banda está aceso para os show no Distrito Federal. Composições românticas e canastronas embalam a noite com um clima de nostalgia.

Romance sem bis é um trabalho recente da banda.

 

Tender Prey – 25 anos depois. Clássico???

Lembro-me quando meu amigo Pedro me apresentou esse disco. Que cara esquisito na capa, um olhar de serial killer pronto para esfaquear qualquer cidadão a qualquer minuto, talvez por conta disso pensei em ouvi o disco e logo indaguei: – Deve ser bom.

O disco ficou lá em casa 3 dias e não tinha coragem de escuta-lo, será que estava com medo? Olhava aquele rosto olhando para mim, quase sorrindo, como costeletas, roupa preta, camisa vermelha e com anéis; Em que mundo estou adentrando?

Veio um dia de cachaça la em casa, meu pai foi fazer uma cirurgia em São Paulo. Dois amigos (Pedro e Barreto) foram lá em casa dar um suporte (Zona Total, festas,  mulheres e rock n roll).

Com um som de meu pai tinha, um National modelo Ss. 8000, o disco Tender Prey urrava no ultimo volume e, repetidas vezes, a música “The Mercy Seat” urrava nos ouvidos mais sensíveis dos vizinhos da QE 30 conjunto J no Guará II. Um dos vizinhos, chamou-me no canto e com um olhar de preocupação indagou:  “Filho, vc está usando drogas? Se não está, seus amigos estão”, como não rir? Na chegada de meu pai de sampa a novidade foi essa para ele: Os  meus amigos drogados escutando uma música esquisita com as caixas acústicas no ouvido e jogados no chão. Ele nem ligou, apesar disso eles tinham moral lá em casa.

Naquela época era fanático por Smiths, Joy Division, Sisters of Mercy e Echo and the Bunnyman, estava no inicio do conhecimento profundo alternativo, ainda não estava preparado para aquele som psicodélico industrial daquela música e nem para aquele olhar de assassino deste tal de Nick Cave, na minha opinião era o Homem das Cavernas.

O disco ficou lá em casa por mais 2 semanas, depois da volta de meu pai, olhei para ele e me convenci em devolve-lo para o Pedro, afinal, que disco esquisito da porra. O peguei o vinil e já ia pela porta saindo para entrega-lo, entrei no carro e me deu um estalo – Nem escutei o disco, vou tentar novamente, tem várias músicas nele –  Não o devolvi. Imagem

No mesmo dia, a noite, coloquei o disco no prato do National, escutei ele inteiro, sem interrupções, calmamente no sofá da sala. Bingo, achei o disco muito bom. Gostei tanto de “Mercy” que me rendi ao disco, “Deanna” era divertido, “The Mercy Seat” era um puro som de violino.

É um disco difícil, confesso, mas é um disco memorável de um artista memorável. Comparo sempre: Nick Cave ou é aclamado ou a expressão “Que porra é essa?” é acionada.

“City of refuge” é uma musica de abraçar os amigos bêbados e dançar conga. “Slowly goes the Night” de dormir pensando nos amores do passado, por acaso, essa foi uma das prediletas do meu pai. Ficávamos escutando som na sala, vendo jogo ou até jogando cartas, comentávamos os sons de cada um (me arrependo tanto de não ter mais jogado cartas com meu pai).

Voltando ao disco, sim, ele é um clássico do Post-Punk, ouça “Deanna” e diga que não tem vontade de pular.

Festas a vista

Via Underground Edição Brasília
Sexta-feira, dia 30 de setembro, às 22h, no Cult 22 Rock Bar (Centro de Atividades 7, Lago Norte). Festa-show com as bandas Blue Butterfly , DDA (GO) e os DJs Gago (Via Underground-SP), Boscox, Orpheus e Ed tocando rock dos anos 1980 e 1990, punk, pós-punk, cyber punk e electro. Entrada: R$ 10,00 (até 0h) e R$ 15,00 (após). Bar aberto a partir das 19h.

 

 

 

 

 

 

Sábado, dia 15 de outubro, às 22h
Festa com os DJs Zeca (comemorando aniversário), Ed, Amarelo e Raí (Bizarre Love Triangle) tocando hits, lado B, pop e rock nacional dos anos 1980
Entrada: R$ 10,00 (até 0h) e R$ 15,00 (após)

Mapa e mais informações sobre o Cult 22 Rock Bar:http://www.cult22.com/blog/cult-22-rock-bar/